Mambas empatam e vêem esfumar-se o sonho de ir ao Brasil

Extraído de: sapo.pt   Março 24, 2013

Com três jogos disputados, Moçambique soma apenas dois pontos e está com possibilidades quase impossíveis de qualificar-se.

A selecção nacional de Moçambique não foi além de um empate a zero frente à Guiné Conacry, em jogo da terceira jornada da fase de apuramento para o Brasil2014, e está assim cada vez mais longe da qualificar-se para o Campeonato do Mundo.

O empate coloca Moçambique praticamente fora da corrida para uma das vagas que darão acesso à mais importante competição futebolística a decorrer no Brasil . No entanto, a Guiné Conacry continua com as esperanças vivas visto que ocupa a segunda posição do Grupo G, liderado pelo Egipto.

Ainda que os «Mambas» fiquem à espera do resultado do jogo entre o Egipto (que lidera com seis pontos) e o Zimbabwe (que conta com um ponto), os «Mambas» têm a vida complicada, visto que na segunda volta desta fase de apuramento vão receber os egípcios e terão duas deslocações à casa do Zimbabwe e Guiné Conacry.

O JOGO

Moçambique recebeu a Guiné Conacry com um único objectivo: vencer para continuar a acalentar esperanças na qualificação para o Mundial 2014, tendo em conta os resultados das duas anteriores jornadas que se saldaram numa derrota fora diante do Egipto e num empate caseiro com o Zimbabwe.

Para esta partida, o alemão Gert Engels fez profundas alterações no 11 dos «Mambas», começando na baliza com a chamada do jogador do Boavista de Portugal , Ricardo Campo que fez a sua estreia absoluta com a camisola de Moçambique, enquanto Tony e Telinho ocuparam-se pelo ataque, contando com o apoio de Reginaldo. Outra mexida foi a braçadeira de capitão que foi entregue a Dominguez.

A primeira situação que poderia ter resultado em golo pertenceu ao «Mambas» quando Miro na ressaca de um pontapé de canto rematou forte para a defesa atenta de Keita Abdoul Azize.

Pouco depois foi a vez de Ricardo Campos com os punhos afastar uma iniciativa contrária, ganhando desse modo confiança do público moçambicano que não preencheu as bancadas do Estádio Nacional do Zimpeto.

Aos 30' minutos surgiu a primeira contrariedade para Gert Engels que foi obrigado a substituir o lesionado Reginaldo por Clésio, jovem jogador que alinha na equipa júnior do Benfica, que passou a reforçar o ataque dos «Mambas».

Ao longo da primeira parte escassearam situações que pudessem resultar em golo, com o equilíbrio a ser nota dominante até ao apito do fim dos primeiros 45 minutos, dado pelo árbitro sudanês Husseil El Fadil Mohamed.

No reatar da partida, Moçambique começou ao ataque com Zainadine Júnior a cruzar com intenção para a cabeça de Jumisse que rematou por cima da baliza de Keita Abdoul Azize. Pouco tempo depois Dominguez cobra um livre que acaba saindo por cima da baliza guineense.

Aos 57 minutos na sequencia de uma boa combinação entre Clésio e Miro, o lateral esquero moçambicano tira um cruzamento letal para a pequena-área onde aparece Tony a embrulhar-se com o guarda-redes keita Abdoul Azize que consegue evitar o golo inaugural para os «Mambas».

Pouco depois, Clésio volta a trabalhar bem pela esquerda e tira um centro para a cabeça de Telinho que tira mal as medidas da baliza contrária, ao rematar por cima.

Na resposta, o ataque da turma guineense aproveita-se de uma escarregade-la de Zainadine Júnior e o remate do recém-entrado Pogba Mathias acaba saindo por cima do travessão da baliza de Ricardo Campos.  

Aos 69 minutos Clésio dá uma arrancada pela esquerda entra pela grande-área adentro, mas é «ensanduichado» pedindo grande-penalidade, mas o árbitro sudanês mandou seguir o lance, apontando ponta pé de baliza, para o desespero do banco técnico moçambicano.

Na resposta,  Ibrahima Traore trabalha bem pela direita e faz um precioso centro para  Pogba Mathias que mesmo com a defensiva moçambicana batida fez o mais difícil ao rematar para as nuvens para o suspiro de alívio pelos adeptos dos «Mambas».

Todas iniciativas de perigo de Moçambique saíam dos pés de Clésio que aos 82 volta a tirar um precioso cruzamento ao qual nem Dominguez, muito menos Mário conseguiram encostar o pé para desviar para o fundo da baliza guineense.

Mário também teve uma oportunidade para visar a baliza contrária quando aos 86 minutos apareceu na cara do guarda-redes  Keita Abdoul Azize, mas o seu chápeu acabou saindo ao lado da baliza contrária.

Aos 88 minutos, novamente Clésio a servir Telinho que vê o seu remate acrobático embater na base do poste direito de Keita Abdoul Azize, falhando mais uma oportunidade para desfazer o nulo.

Nem os cinco minutos de compensação ajudaram a Moçambique a alcançar a primeira vitória , tendo a partida terminado com empate que significa que os «Mambas» conquistaram o seu segundo ponto na prova.

FICHA TÉCNICA

Estádio Nacional do Zimpeto, com cerca de 25 mil espectadores
Moçambique: Ricardo Campos; Zainadine Júnior, Mexer Sitoé, Gabito, Miro, Mohamed Hagy,  Jumisse, Dominguez, Telinho, Reginaldo e Tony.
Suplentes: Pinto, Dito, Alvarito, Manuelito, Clésio, Mário, Chico, Diogo e João Mazive
Treinador: Gert Engels (Alemanha )
Guiné Conacry: Keita Abdoul Azize; Diallo Ibrahim, Bah Thierno Lamine, Zayate Kamil, Traore Ibrahima, Diallo Abdoulaye Sadio, Pogba Florentin, Camara Lanfia, Bangoura Alhassane, Camara Abdoul Razzagui e Yattara Mohamed Lamin
Suplentes: Camara Aboubacar, Conte Ibrahima Sory, Pogba Mathias, Camara Aboubacar,  Cisse Salim, Mara Mamoudi, Sylla Issiaga, Soumah Seydouba, Diarra Mohamed Lamine, Kalabane Oumar.

Treinador: Michel Dussuyer (França)
Arbitragem: Husseil El Fadil Mohamed, auxiliado por Ali Walleed Hamid (1º assistentes),  e Mohamed Idam Hamid (2º assistente). 4º árbitro: Mutaz Abdelbasit Khairala
Acção Disciplinar: cartão amarelo para Bah Thierno  e para Diallo Ibrahima


Conteúdo publicado por SportInforma

Leve o Desporto para todo o lado com o SAPO Desporto Mobile.

Autor: Por Alfredo Júnior


 

 
Deixe seu comentário



Siga o Esporte Brasil
BRASIL
Notícias